Eu sou a minha própria embarcação” | Peixe fora d’água com banzo, por Elizandra Souza, Ep. 6

Ilustração: Carol Itzá

Rosa chegou a Salvador ao final do dia. Todas as ruas transmitiam mensagens, recados ancestrais de pertencimento, tantas saudades, locais que nunca havia visitado, mas foi como se sempre tivesse morado ali. Tudo era muito familiar, tudo era muito intenso. Os cheiros, as cores, as ruas, as pessoas…

Foi para o hotel no bairro do Rio Vermelho. Escolheu o local para conhecer de onde saíam as embarcações dos presentes para Iemanjá, apesar de não ser próxima da data da grande festa. Deixou sua mala no quarto e foi em busca de um acarajé… Se pudesse ser uma comida, seria esse bolinho de fogo com muita pimenta.

No dia seguinte, tirou o dia para ir à praia da Ribeira, aproveitar e tomar os melhores sorvetes: tapioca, umbu-cajá, cupuaçu…

Na beira do mar, ficou refletindo sobre sua vida, seus caminhos, como tinha chegado até aquele exato momento, lembrou da sua vó que havia se tornado ancestral.

Viu uma menininha brincando na água parecida com aquela do sonho, lembrou do sonho…

Entrou na água, flutuou olhando o céu, a grandeza do mar. Quantas águas seus ancestrais navegaram para que ela pudesse chegar até ali?

Lembrou da música da Luedji Luna “Eu sou a minha própria embarcação/
Sou minha própria sorte”.

Pensou no texto que escreveu no caminho, nas suas travessias, seria ela mesma um peixe fora d’água com banzo?

Elizandra Souza, por Fernando Solidade

Eu sou minha própria embarcação é o sexto episódio da série “Peixe fora d’água com banzo”, da escritora Elizandra Souza. A autora é ativista cultural há 18 anos com ênfase na difusão do jornalismo cultural da Periferia e da Literatura Negra Feminina. É integrante fundadora do Sarau das Pretas desde 2016, autora dos livros de poesias Águas da Cabaça (2012) e Punga, em co-autoria Akins Kintê (2007). Além disso, foi editora do Coletivo Mjiba dos livros Águas da Cabaça (2012), Pretextos de Mulheres Negras (2013) e Terra Fértil (2014). Também atuou como editora e jornalista responsável na Agenda Cultural da Periferia na Ação Educativa (2007- 2017), participou do Festival Internacional de Poesia em Havana (Cuba), 2016, e do Congresso LASA / Nuestra América: Justice and Inclusion, em Boston (EUA), 2019.

Experimento literário do Sesc Pompeia convida escritores a criarem narrativas inéditas

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store